• Deputado Galo

Batalhão de Polícia Ambiental aumenta parcerias e multas crescem R$ 19 milhões em 2 anos


Foto: SESP

O Dia Internacional das Florestas e da Árvore, lembrado nesta segunda-feira (21), marca o trabalho de órgãos públicos e entidades que trabalham pela preservação e manutenção dos recursos naturais para garantir a subsistência das próximas gerações.


No Paraná, o Batalhão de Polícia Ambiental-Força Verde (BPAmb-FV) está à frente das ações de fiscalização, tanto que em 2021 as operações e atendimento de ocorrências resultaram em 2.287 autos de infração de crimes contra a flora lavrados e em mais de R$ 51,7 milhões em multas aplicadas ao longo do ano. Outros órgãos do Estado ou empresas públicas como Instituto Água e Terra (IAT), Sanepar, Simepar e Secretaria de Desenvolvimento Sustentável e Turismo estão envolvidos nessa rede.


O acompanhamento das áreas desmatadas é feito rotineiramente pelos policiais militares por meio do policiamento motorizado. Graças às denúncias feitas pela população, tanto pelo telefone do batalhão quanto pelo Disque-Denúncia 181, dezenas de áreas são monitoradas para identificar pontos sensíveis e os responsáveis por devastações da flora silvestre.


A integração com outros órgãos foi fortalecida para fazer frente aos casos de desmatamento e exploração ilegal das florestas. Por meio do convênio com o IAT, operações conjuntas são promovidas em várias regiões do Estado, e com o apoio de outras entidades ligadas à defesa dos recursos naturais campanhas educativas trabalham com a conscientização de adultos e crianças sobre o porquê cuidar da terra e da mata silvestre.


NÚMEROS – O balanço da unidade aponta que desde 2019 houve um aumento crescente de ocorrências atendidas e, consequentemente, mais flagrantes e multas. Os autos de infração em 2019 eram 1.671 e subiram para 2.287 dois anos depois. O valor total de multas aplicadas pelos policiais militares ambientais subiu de R$ 32.428.302 em 2019 para R$ 51.786.342 em 2021 – aumento de mais de R$ 19 milhões.


O aumento também ocorreu em se tratando das áreas desmatadas de maneira ilegal. No último ano, foram 3.928 hectares, 14,7% a mais que em 2020, com 3.422 hectares. O trabalho de proteção à flora paranaense resultou na apreensão de 72.854 quilos de carvão e 7.503 metros de cúbicos de madeira. O crescimento se deve à intensificação do trabalho preventivo, atendimento de denúncias e à realização de operações. Ao longo do último ano, o BPAmb-FV recebeu mais de 19 mil chamadas sobre denúncias de crimes.


“Os números mostram que o batalhão está trabalhando, mas também que os crimes ambientais ainda existem, e para que eles acabem não basta só a fiscalização da polícia, é preciso que a população entenda e se conscientize. E que também colabore com denúncias”, disse o porta-voz da unidade, Rafael Freitas da Silveira.


Dentre as operações mais importantes de preservação à flora está a operação Mata Atlântica em Pé, que é organizada pelo Ministério Público e conta com envolvimento direto do Batalhão Ambiental e do IAT. A última edição, em setembro do ano passado, resultou em 174 polígonos fiscalizados e foram constatados danos em 2.200 hectares. A força-tarefa envolvendo policiais, agentes do IAT e do Ibama aplicou R$ 15.666.670 em multas.


COMO AJUDAR – A denúncia é a melhor forma de contribuir para minimizar cada vez mais os crimes contra a flora silvestre. O principal canal do Batalhão Ambiental é o Disque-Denúncia 181, o qual possibilita que seja feita uma análise e verificação in loco de todas as informações recebidas do cidadão.


Fonte: AEN

https://www.aen.pr.gov.br/Noticia/Batalhao-de-Policia-Ambiental-aumenta-parcerias-e-multas-crescem-R-19-milhoes-em-2-anos

0 visualização0 comentário