• Deputado Galo

Chuvas afetam o abastecimento de água em várias cidades do Paraná


Photo by Sourav Mishra on Pexels.com

As chuvas registradas nos últimos dias, em Curitiba e Região Metropolitana, serviram para amenizar os impactos da estiagem que atinge essas regiões há mais de dois anos. Neste domingo (17), o nível médio dos reservatórios que fazem parte do Sistema de Abastecimento de Água Integrado de Curitiba (SAIC), estava em 56,68% da capacidade, segundo a Sanepar.


Apesar da crise hídrica, a situação é bem melhor do que a registrada em outubro de 2020, por exemplo, quando o nível médio dos reservatórios estava em 29,69%. Mesmo assim, a Sanepar mantém o rodízio de água mais severo, com 36 horas de abastecimento e 36 horas de desabastecimento.


A situação mais preocupante é da barragem Iraí, com 43,98% da capacidade, seguida da barragem Passaúna, com 62,79%, barragem Piraquara I, com 66,88%, e barragem Piraquara II, com 66,92%.


Chuvas causam desabastecimento

Apesar de amenizarem a crise hídrica em outras regiões do estado, as chuvas também causaram falta de energia e, consequentemente, afetaram os sistemas de abastecimento de água em diversas cidades e distritos das regiões Oeste e Noroeste do Paraná.


Em Toledo, a falta de energia prejudicou a estação elevatória que bombeia água para algumas regiões. A Sanepar precisou instalar um gerador na unidade para abastecer os moradores.


Também tiveram o abastecimento comprometido pela falta de energia as cidades de São José das Palmeiras, Formosa do Oeste, Maripá e o distrito de Vila Candeias, Diamante do Oeste, Iracema do Oeste, Guaíra, e os distritos de Luz Marina, em Toledo, São Judas Tadeu, em São Pedro do Iguaçu, Carajá, em Jesuítas, e Central Santa Cruz, em Cafelândia, os distritos de Palmital, Palmitópolis e Marajó, em Nova Aurora, e São Camilo, no município de Palotina.


Na regional de Cascavel ficaram sem energia os sistemas de Corbélia e o distrito de Ouro Verde do Piquiri, Ramilândia, distrito de Ibiracema, em Catanduvas, e o distrito de São João do Oeste, em Cascavel.


No Noroeste do Estado, a falta de energia afetou o abastecimento nas cidades de Moreira Sales e do distrito de Paraná d’Oeste, Quarto Centenário, Rancho Alegre do Oeste, os distritos de Bela Vista do Piquiri e Sales de Oliveira, no município de Campina da Lagoa, o distrito de Yolanda, em Ubiratã, e Águas de Jurema, em Iretama.


Na região de Umuarama, os sistemas mais afetados e que ainda registram falta de energia são os de Francisco Alves e os distritos de Rio Bonito e Bairro Catarinense, parte da cidade de Alto Piquiri e seus distritos Mirante do Piquiri e Paulistânia, os distritos de Guaiporã e Jangada, em Cafezal do Sul, Pindorama no município de Xambrê e parte do distrito de Cedro, em Perobal.


Segundo a Sanepar, todo maquinário e equipamentos de grande porte nas mais de 3.400 unidades operacionais nos 346 municípios onde a Companhia atua precisam do fornecimento de energia. Portanto, quando falta energia, também pode faltar água.


Fonte: CBN Curitiba

https://cbncuritiba.com/chuvas-abastecimento-agua-parana/


1 visualização0 comentário