• Deputado Galo

Comunidade escolar retoma as aulas com aprovação do modelo presencial

Todas as 2,1 mil escolas da rede estadual abriram nesta segunda-feira (7), com exceções pontuais, envolvendo cerca de 1 milhão de alunos e 90 mil profissionais da educação, entre professores e funcionários.


Comunidade escolar retoma as aulas com expectativa e aprovação do modelo presencial. Foto: Lucas Fermin/SEED

O início do ano letivo em toda a rede estadual de ensino nesta segunda-feira (7) foi marcado pela grande expectativa que professores, funcionários e estudantes tinham em relação ao retorno presencial às escolas. No ano passado não houve o retorno presencial no começo do ano, após as férias — as aulas foram iniciadas de forma remota e só depois migraram para os modelos híbrido e presencial.


No Colégio Estadual Leôncio Correia, um dos maiores de Curitiba, com mais de 2 mil alunos, a volta às salas também marcou o aniversário de 81 anos da instituição. “A expectativa é muito grande desde a semana passada, porque começamos a preparar a escola e todos os detalhes para poder receber os estudantes. E hoje a gente vê os alunos felizes e entusiasmados com o ano letivo. Nós ficamos muito felizes e satisfeitos também”, comenta o vice-diretor do colégio, Marcelo Hamasaki Carneiro.


Para a estudante Alanis Mel, de 15 anos, o retorno tem diferenças, apesar de estar no colégio desde os 10 anos, pois em 2022 ela inicia o ensino médio já em seu novo formato. “Pesquisei bastante e sei das mudanças, mas é tudo muito novo para mim. Eu estou bem ansiosa para o início do ano letivo e para dar continuidade aos estudos”, diz ela, que vai fazer o curso técnico de Administração (o seu itinerário do novo ensino médio) junto ao ensino regular.


O fato de o ano letivo já começar de maneira presencial também será um fator positivo para o aspecto pedagógico. “A gente aprende mais tendo contato com os professores, podendo tirar dúvidas presencialmente”, pontua Alanis.


A constatação, inclusive, é praticamente uma unanimidade dentro da rede. “Desde o ano passado, quando a gente começou a receber os alunos [presencialmente], nós já percebemos a diferença, que foi enorme. Os alunos ficam mais felizes, dispostos a estudar, pois facilita tanto para ele quanto para o professor todos estarem na sala de aula”, completa o vice-diretor.


MUSEU – Para preservar a história de mais de oito décadas, o Leôncio Correia conta com um “centro de memórias” montado em uma de suas salas. “Há nove anos tenho recolhido materiais do colégio para montar um museu, para que os alunos e a comunidade em geral saibam como foi a evolução do colégio desde a sua criação, em 1941, até os dias de hoje”, destaca a professora Lilian Marilene Ribeiro dos Santos que, além de coordenar esse espaço, leciona matemática há 17 anos na instituição.


Os itens incluem materiais em audiovisual, livros, exames de admissão, registros, recibos, além de doações de ex-alunos, como uniformes e materiais didáticos utilizados por eles.


REDE – Todas as 2,1 mil escolas da rede estadual abriram nesta segunda-feira, com exceções pontuais relacionadas a restrições específicas, como o transporte escolar, que é operado por municípios. O retorno envolve cerca de 1 milhão de alunos e 90 mil profissionais da educação, entre professores e funcionários.


De acordo com a programação, as aulas vão até 8 de julho e recomeçam no dia 25. O término, garantindo os 200 dias letivos, será em 20 de dezembro. Estão mantidos para os professores, entre férias e recesso escolar, 60 dias durante o ano de 2022.


Veja como funciona o retorno das aulas:

Protocolos

Uso obrigatório de máscara, aferição de temperatura na entrada, disponibilização de álcool gel em locais de maior circulação de pessoas e orientações à comunidade escolar sobre a higienização frequente das mãos, manutenção dos ambientes de ensino arejados, com janelas e portas abertas durante a maior parte do tempo, além de evitar contato físico (como aperto de mãos, abraços e beijos) e o compartilhamento de objetos pessoais.


A desinfecção constante de equipamentos e materiais destinados ao ensino que sejam compartilhados e das próprias instalações das instituições de ensino também estão entre os procedimentos.


Notificação de casos de Covid-19

Quando há notificação de casos de Covid-19 entre estudantes, professores ou funcionários de colégios estaduais, as instituições de ensino seguem as orientações da última atualização da nota orientativa 03/2021 da Sesa. Os casos confirmados são afastados e uma avaliação é feita pelo comitê de biossegurança para tomar uma decisão pela eventual suspensão das aulas e em qual nível. Caso o contato tenha se limitado a grupos específicos, é considerado o isolamento de uma sala de aula ou de um grupo de uma sala de aula.


O monitoramento é feito pelos comitês de biossegurança das escolas e informado tanto para a Seed-PR quanto para as vigilâncias sanitárias locais.


Modelo das aulas

O retorno é 100% presencial, assim como terminou o ano letivo de 2021. A aula remota (por Meet) será utilizada apenas na necessidade do eventual fechamento de turmas e/ou escolas.


Além disso, estudantes com comorbidades podem permanecer no ensino remoto (assistindo às aulas disponíveis no canal de YouTube do Aula Paraná, fazendo atividades impressas ou no Google Classroom ou, eventualmente, fazendo meets) até 30 dias após a conclusão do ciclo vacinal.


Fonte: AEN

https://www.aen.pr.gov.br/Noticia/Comunidade-escolar-retoma-aulas-com-aprovacao-do-modelo-presencial

0 visualização0 comentário