• Deputado Galo

Em 4 dias, Curitiba atinge quase metade do volume de chuva previsto para outubro


Foto: José Fernando Ogura/AEN

De sexta-feira (1º) até a manhã desta segunda-feira (4), a capital somou uma precipitação acumulada de quase 60 mm, de acordo com dados do Simepar. O volume de chuva ajudou a elevar um pouco a capacidade dos reservatórios em 1,26%, o que ameniza, mas não resolve o problema da crise hídrica.


Segundo Lizandro Jacóbsen, meteorologista do Simepar, a chuva atingiu de forma significativa várias regiões do estado.


Na quarta-feira (29), quando a cidade teve as primeiras ocorrências de chuva, os reservatórios que abastecem Curitiba e Região estavam em 49,52%, enquanto nesta segunda-feira (4) amanheceram com 50,78% da capacidade.


A barragem do Iraí, que é a mais afetada, saltou de 35,97% para 36,66%, aumento de 0,69%. A barragem Piraquara 2, que na quarta-feira estava em 57,06%, hoje registra 58,01%, acréscimo de 0,95%. A barragem Passaúna foi a que teve a melhora mais significativa, saindo de 57,92% para 60%, um aumento de 2,08%. A barragem Piraquara 1 que tinha 59,5% de capacidade está agora em 60,8%, acréscimo de 1,3%.


A expectativa, segundo o meteorologista, é que o Paraná ultrapasse a média histórica de chuva prevista para outubro, que varia em torno de 120 mm a 40 mm.


Desde 11 de agosto, Curitiba vive com um rodízio mais rígido. O sistema funciona com 36 horas de abastecimento e 36 horas de suspensão no fornecimento de água. Conforme a Sanepar, o modelo só será revisado para uma flexibilização quando os reservatórios atingirem 80% da capacidade.


Fonte: CBN Curitiba

https://cbncuritiba.com/chuva-curitiba-outubro/

2 visualizações0 comentário