• Deputado Galo

FRENTE PARLAMENTAR DO PEDÁGIO DISCUTE NOVO MODELO NO PARANÁ


Um grande evento, realizado de forma remota e transmitido para o todo o Estado pela TV Assembleia e redes sociais, reuniu diversos especialistas ligados ao tema, deputados estaduais e convidados a fim de analisar o novo modelo de pedágio a ser implantado no Paraná, com explanações do professor e economista da Universidade Federal do Paraná, Fábio Scatolin e Eduardo Ratton, engenheiro, ambos fazendo as colocações técnicas da obra sobre as suas especificações.

O novo modelo, que deve ser licitado ainda neste primeiro semestre, vai aumentar dos antigos 2.400 kms de rodovias pedagiadas para 3.368 kms divididos em 42 praças e 06 lotes, abrangendo o estado todo, de forma especial locais que antes não tinham uma praça e agora passarão a ter a cobrança cujos valores ainda serão definidos mas que irão ser diferenciados e menores em relação ao que era cobrado, como é o caso da praça de São José dos Pinhais na BR 277 rumo ao litoral, que tinha uma tarifa perto de 24 reais e terá uma redução para um valor entre 14 e 17 reais.

Algumas questões muito interessantes foram tratadas, como o desconto para os usuários frequentes, pessoas que utilizam o pedágio diariamente mas moram próximo como estudantes, trabalhadores da região e que utilizam automóveis de passeio, caminhonetes ou vans e que poderão ter uma tarifa diferenciada. Também a questão das motos, triciclos e bicicletas deverão ter um estudo complementar pois no antigo modelo esses veículos eram isentos de cobrança. Conforme o professor Fábio Scatolin, tem que se ter o máximo cuidado para que se pague apenas pelos serviços prestados, observando um grande rigor técnico e transparência, citando inclusive o mecanismo de aplicação de proteção cambial.

Para o professor Eduardo Ratton, que esteve na ALEP em 1.998 discutindo e debatendo o antigo pedágio, os aspectos de engenharia são muito diferentes daqueles observados há 24 anos atrás, e esse também será um dado importante a ser observado. Técnicos de diversas áreas da UFPR e de municípios que serão cortados pelo novo pedágio também fizeram explanações sobre análises técnicas do novo modelo.


1 visualização0 comentário