• Deputado Galo

Municípios do Paraná aderem à vacinação de domingo a domingo

Campanha para acelerar a vacinação foi lançada na sexta-feira (26) pelo governador Carlos Massa Ratinho Junior, que neste domingo (28) acompanhou os mutirões em Apucarana e Maringá. Levantamento mostra que 124 cidades já começaram a imunizar os grupos prioritários neste domingo, fora aquelas que utilizaram até sábado (27) todas as doses que receberam.


Os municípios paranaenses estão comprometidos em acelerar a vacinação contra a Covid-19, que agora passa a ser aplicada interruptamente, de domingo a domingo. Levantamento prévio da Secretaria de Estado da Saúde mostra que 124 cidades, das 22 Regionais, já começaram a imunizar os grupos prioritários neste domingo (28), fora aquelas que utilizaram até sábado (27) todas as doses que receberam. Neste primeiro dia de campanha, o governador Carlos Massa Ratinho Junior acompanhou os mutirões em Apucarana, no Vale do Ivaí, e em Maringá, no Noroeste do Estado.


O Paraná já ultrapassou a marca de 1 milhão de doses aplicadas, com 792.734 paranaenses imunizados, dos quais 209.949 com a segunda dose. Até as 11 horas deste domingo, o Vacinômetro disponível no site da Secretaria da Saúde, que faz a contagem de acordo com as atualizações dos municípios, já contabilizava um total de 1.002.683 vacinas aplicadas, 72% das 1.386.277 distribuídas pelo Governo do Estado. Até agora, o Paraná recebeu 1.727.850 doses do Ministério da Saúde.


O governador reforçou a necessidade de acelerar a vacinação, para que o Paraná feche o mês de abril com 100% pessoas com mais de 60 anos imunizadas, além de incluir novos públicos, como policiais e professores.


“Damos a largada na campanha Vacina Paraná de Domingo a Domingo para fazer um grande trabalho de vacinação todos os dias da semana. Os municípios, principalmente os de médio e grande porte, estão encampando essa ideia para dar mais velocidade à imunização da população paranaense”, afirmou. “A estratégia do Estado é vacinar o máximo de pessoas e fechar o ciclo com o público acima de 60 anos, porque a grande maioria dos óbitos de Covid-19 é nessa faixa etária”, disse.


“A vacinação é a única alternativa para vencer essa pandemia. Então a ideia é dar muita velocidade, somos o primeiro estado do Brasil a fazer um grande projeto nesse sentido, por isso queremos que a escala de vacinação cresça a cada semana”, ressaltou Ratinho Junior. “A Fiocruz e o Instituto Butantan, os dois laboratórios brasileiros que fornecem ao Ministério da Saúde, vão aumentar a produção, permitindo que os estados recebam novas doses em um cronograma mais organizado e planejado, com um volume considerável de vacinas para distribuir aos municípios paranaenses”, complementou.


Ratinho Junior também agradeceu o trabalho dos profissionais de saúde, que depois de mais de um ano combatendo a pandemia, agora também fazem frente nessa grande campanha de vacinação. “Quero agradecer toda a equipe de saúde do Paraná, nossos enfermeiros, técnicos de enfermagem, gestores das unidades básicas de saúde e dos nossos hospitais. Eles estão há um ano trabalhando incansavelmente, 24 horas por dia, e aceitaram de bom grado nosso desafio de trabalhar de domingo a domingo para cumprir nossa meta de vacinação”, completou.


TODAS AS DOSES – “Colocar as equipes para vacinarem de domingo a domingo é fazer com que a vacina chegue mais rápido nos braços dos paranaenses. A orientação é vacinar, vacinar e vacinar”, reforçou o secretário estadual da Saúde, Beto Preto. “Os municípios podem usar todas as doses que receberam para atingir o maior número possível de pessoas, já que os repasses do Ministério da Saúde estão contínuos e não precisa mais reservar a segunda dose. O importante é ampliar o número de vacinados para podermos diminuir rapidamente os casos que precisam de internação”, salientou.


O secretário explicou que assim que chegam os imunizantes do Ministério da Saúde, eles são despachados para as Regionais em menos de 24 horas, em um esquema de logística que envolve as aeronaves do Estado. “Uma vez que estejam em solo paranaense, elas chegam rapidamente às Regionais de Saúde para que sejam encaminhadas aos municípios. A orientação aos secretários é usar todo o estoque, porque ele está sendo reposto rapidamente. Se for acabar a vacina, usa mesmo assim, porque logo em seguida chega outro lote”, afirmou.


MARINGÁ – Na Unidade Saúde Iguaçu, em Maringá, o mutirão começou às 8 horas. Perto das 9h, os profissionais de saúde já começaram a disparar nos grupos de Whatsapp que um novo grupo tinha sido liberado para se vacinar: as pessoas com mais de 69 anos. Foi a sorte do garçom Geraldo Barbosa, que tinha ido até o local para tentar se vacinar e já estava na calçada, voltando para o trabalho sem receber a sua dose, pois até então as vacinas seriam aplicadas em quem tinha mais de 70 anos, que ele completa apenas em julho.


Já imunizado, ele comemorou a coincidência. “Já estava na espera há tempos, e vim hoje aqui porque estava mais próximo. Foi por pouco, já estava indo embora e voltei para vacinar. Agora é continuar se cuidando, álcool em gel na mão e máscara”, diz. “O serviço de garçom está difícil no último ano, mas agora precisa vacinar todo mundo para que tudo passe”, contou ele.


De acordo com o prefeito Ulisses Maia, no sábado o município bateu recorde de pessoas imunizadas, com mais de 4 mil aplicações, o que corresponde a 1% da população da cidade. “Já imunizamos cerca de 10% da nossa população, mas vamos aumentar a nossa estrutura de vacinação para ampliar esse público. Hoje temos seis Unidades de Saúde, mais o Teatro Calil Haddad em drive-thru, mas teremos mais dois locais semelhantes a esse e outras unidades de saúde, para poder vacinar o mais rápido possível para garantir a imunidade da população”, explicou Maia.


O empresário Alziro Moreschi, de 69 anos, também deu sorte na hora da vacinação. No sábado passado, ele acompanhou a aplicação na esposa Helen, de 71 anos, e hoje foi à Unidade da Saúde para ver se já tinha chegado a sua hora de receber o imunizante. Acabou sendo a segunda pessoa com 69 anos completos a tomar a vacina.


Inclusive a idade que está no documento, que é a válida na hora da vacinação, não é a sua idade real. Apesar de ter nascido em 1951, só foi registrado no ano seguinte. “O que importa é a alegria grande de receber essa vacina. Esperamos muito por ela, passamos um ano terrível, na minha empresa só duas pessoas não tiveram Covid, inclusive nós dois pegamos, mas no meu caso foi mais leve”, disse.


“Para mim foi muito difícil porque fiquei um ano sem sair de casa, mas no final de fevereiro comecei a ter sintomas. Foi muito terrível, mas por sorte tive um bom acompanhamento médico”, contou Helen. “O sentimento que tive ao receber a vacina foi de alegria, eu fico emocionada. Eu fiquei muito contente porque o governador e o prefeito estão assumindo o compromisso com a vacinação. Essa campanha de domingo a domingo merece o nosso agradecimento”, afirmou.


APUCARANA – Em Apucarana, estão sendo vacinadas neste domingo pessoas de 70 e 71 anos de idade, com a expectativa de aplicar 3.820 doses. Além da cidade, na 16ª Regional de Saúde também há vacinação em Jandaia do Sul e Faxinal. “Com essa campanha, vemos uma luz no fim do túnel. A pessoa imunizada ganha resistência, uma força contra o coronavírus. Quando começarmos a ver a maior parte da população imunizada é que teremos condições de pensar em voltar ao normal”, ressaltou o prefeito Junior da Femac.


“Apucarana aderiu a essa campanha do Governo do Estado, para vacinar de domingo a domingo. Tenho certeza que com esse grande trabalho nos municípios e o apoio do Governo do Estado, vamos conseguir imunizar o máximo de paranaenses no menor tempo possível”, afirmou. “Nós, os apucaranenses, estamos querendo vacina. É só mandar as doses que aplicaremos nas pessoas”, completou o prefeito.


OUTRAS CIDADES – O chefe da Casa Civil, Guto Silva, também visitou alguns locais da Região Metropolitana de Curitiba onde estavam sendo aplicadas as vacinas neste primeiro dia da campanha de Domingo a Domingo e destacou a adesão da população e o trabalho das prefeituras.


Em uma das maiores estruturas montadas no Estado, no Expotrade Convention Center, em Pinhais, por exemplo, estavam sendo vacinadas 200 pessoas por hora. “O Governo está dando todo o suporte e os prefeitos e prefeitas estão fazendo um grande trabalho de liderança e mobilização para a vacinação em massa em seus municípios. Cada dose de vacina é uma dose de esperança”, disse.


Silva disse que a programação do Ministério da Saúde de distribuição dos imunizantes permite agilizar a vacinação no Estado. “Com a previsão de chegada ao Paraná de 300 mil vacinas semanalmente, vamos poder aumentar muito a imunização da população e sair rapidamente desse momento tão crítico, tão difícil”, afirmou.


Os secretários estaduais do Desenvolvimento Urbano e de Obras Públicas, João Carlos Ortega, do Planejamento e Projetos Estruturantes, Valdemar Bernardo Jorge, e o chefe de Gabinete da Governadoria, Daniel Vilas Bôas Rocha, também acompanharam a vacinação em Araucária e São José dos Pinhais, na Região Metropolitana de Curitiba.


Fonte: AEN

http://www.aen.pr.gov.br/modules/noticias/article.php?storyid=111522&tit=Municipios-do-Parana-aderem-a-vacinacao-de-domingo-a-domingo

6 visualizações0 comentário