• Deputado Galo

Número de pessoas que abandonaram tratamento de câncer aumentou durante a pandemia

De acordo com a oncologista clínica Rosane do Rocio Johnson, atitude resultou em agravamento dos casos.

Foto: Orlando Kissner/Alep

Além dos impactos diretos, a pandemia causada pelo novo coronavírus implicou em outros problemas na saúde das pessoas. Por causa de fatores como o isolamento social e o medo da covid-19, muita gente abandonou os cuidados com o câncer, interrompendo tratamentos ou deixando de fazer o diagnóstico precoce. A constatação é da médica Rosane do Rocio Johnson, oncologista clínica do Instituto de Oncologia do Paraná. De acordo com a especialista, em torno de 35% dos tratamentos feitos por homens foram abandonados durante a pandemia. O resultado? O agravamento dos casos.


Rosane do Rocio, que concedeu entrevista ao Programa Assembleia Entrevista, da TV Assembleia, diz que houve uma mudança séria no comportamento das pessoas. “Muitos fecharam as portas para os médicos. O medo impactou na situação. Agora estamos vendo um aumento impressionante de casos de câncer. Agora, essas pessoas estão muito mais doentes. É como se tivéssemos retrocedido para 10 ou 15 anos antes da pandemia. Temos vistos tumores enormes e pessoas gravemente doentes. Está uma situação muito crítica”, afirmou. A conversa com a especialista vai ao nesta quinta-feira (28), às 11 horas, na TV Assembleia.


Para reverter a situação, a médica lembrou a importância de dois fatores: informação e prevenção. Neste sentido, a Assembleia Legislativa do Paraná realiza ao longo do ano uma série de campanhas de conscientização chamando a atenção para os perigos do câncer. A Lei 18.829/2016 criou a Campanha Dezembro Laranja, que promove ações de prevenção do câncer de pele e chama a atenção das pessoas para os perigos da exposição excessiva ao sol, principalmente no período de verão. Já Lei 19.868/2019, instituiu o Novembro Vermelho como mês dedicado à prevenção e ao combate ao câncer de boca.


A Lei 16.935/2011 instituiu no Paraná a Campanha Outubro Rosa, que lembra da necessidade das mulheres assumirem o protagonismo da sua própria saúde, não apenas realizando os exames que podem diagnosticar o câncer de Mama, Ovário, Colo do Útero e Endométrio, mas também incorporando hábitos de prevenção de outras doenças crônicas e demais tipos de câncer. Outra ação é o Agosto Azul, criado pela Lei 17.099/2012. Durante o mês são realizadas ações para incentivar a prevenção e a promoção da saúde do homem. “Quanto mais falarmos sobre o assunto, melhor. As campanhas realizadas são extremamente importantes. A discussão do câncer é importante para a conscientização. A pessoa que procura a informação vai se cuidar para estar à frente do problema”, disse a oncologista.


Além desses assuntos, a médica explicou como ocorre a formação do câncer nas células e a influência da genética e dos hábitos de vida no desenvolvimento da doença. A entrevista completa pode ser conferida na programação da TV Assembleia. O Assembleia Entrevista ouve pessoas da comunidade que se destacam por trabalhos e serviços que prestam à população. A atração, que vai ao ar às quintas-feiras, às 11 horas, com reprises ao longo da semana, tem como cenário o Plenário da Assembleia Legislativa do Paraná.


Fonte: ALEP

https://www.assembleia.pr.leg.br/comunicacao/noticias/numero-de-pessoas-que-abandonaram-tratamento-de-cancer-aumentou-durante-a-pandemia

1 visualização0 comentário