• Deputado Galo

Pessoas em situação de rua recebem marmitas com 740 gramas de alimentos


Cardápio servido nos acolhimentos é acompanhado por nutricionista. Curitiba, 02/08/2021. foto: Ricardo Marajó/SMCS

Todos os dias, mais de cinco mil refeições são servidas nas 27 unidades da Prefeitura de Curitiba – oficiais e parceiras - que acolhem pessoas em situação de rua. Quem é atendido nesses abrigos recebe diariamente café da manhã, almoço e jantar e em algumas unidades que acolhem, principalmente idosos e pessoas com deficiência há ainda um reforço com lanche da tarde.


Com média de 740 gramas cada uma, as marmitas servidas no almoço e no jantar têm arroz, feijão, dois acompanhamentos - sendo um à base de legumes e outro diverso (lasanha, macarrão, creme, farofa, etc) -, carne, salada, sobremesa e suco.


No café da manhã os acolhidos podem tomar café com leite ou apenas café e comer pães com margarina e algum tipo de recheio, que pode ser queijo, presunto ou mortadela. No lanche da tarde é servido novamente café e para comer há lanches variados diariamente, como pão de queijo, cachorro-quente, esfirra, bolo e chineque.

Preparadas por uma empresa terceirizada, as refeições têm variações diárias dos acompanhamentos, das carnes, saladas e sobremesas. “Nosso objetivo é fazer com que elas tenham equilíbrio, variedade e qualidade”, explica a nutricionista da Fundação de Ação Social (FAS), Carolina Camara, responsável por revisar o cardápio servido nas unidades e inspecionar regularmente o serviço contratado.


Refeição nutritiva

Na noite desta segunda-feira (2/7), quem jantou nos acolhimentos do município comeu arroz, feijão, carne moída à brasileira – que leva cenoura, milho, cebola e tomate -, além de polenta cremosa, chuchu e cenoura refogados. De salada, um mix de repolhos verde e roxo, e de sobremesa, maçã.


Há dois meses acolhido na unidade Boqueirão, Marco Aurélio Mussio, 51 anos, elogia a comida servida diariamente. “Graças a Deus a gente passa muito bem aqui, a comida é muito boa. Tem carne de porco, bisteca, frango, peixe, muita 'mistura'”, conta. Dentro de toda a variedade, Mussio diz gostar de salada, seu prato preferido.


Além da comida, Mussio fala da qualidade dos serviços da assistência social e também da saúde. “Nunca passei por um lugar desse, mas estou me sentindo em casa. Aqui a gente é muito bem tratado e os funcionários ajudam até a fazer e encaminhar ficha (currículo) para trabalho”, conta.


De Valparaíso, o chileno Alejandro Hector Montenegro, 63 anos, também é acolhido na UAI Boqueirão, onde chegou há um ano e meio. “Aqui a gente tem quatro refeições no dia, dormitório, podemos lavar nossa roupa, tomar banho diariamente. Não há do que reclamar”, diz.

Mais do que as marmitas, Montenegro diz adorar os lanches da tarde, seja com doces ou salgados.


Nutrição garantida

Os cardápios servidos nas unidades de acolhimento seguem variações mensais. Cada marmita deve conter 200 gramas de arroz, 150 de feijão, 150 de carne (suína, bovina, frango ou peixe), 120 de legumes, 120 de preparações consideradas diversos, além da salada e da sobremesa. Para o café a medida é de 300 ml.

“Não calculamos o valor calórico mínimo, mas buscamos garantir uma refeição nutritiva que possa ajudar a melhorar o estado nutricional e, com isso, melhorar a qualidade de vida do acolhido”, explica a nutricionista Carolina.

Para garantir a qualidade das refeições, a nutricionista faz o acompanhamento das marmitas, para avaliar quantidade e itens servidos, sabor e até a embalagem. As visitas são periódicas, em unidades e dias aleatórios, sem o conhecimento da empresa contratada.


Cardápio para dietas

Pessoas que possuem doenças que exigem dieta balanceada, como diabetes e hipertensão, recebem refeições especialmente preparadas. Os cardápios, nesses casos, são baseados em prescrições de médicos ou de nutricionistas.


Para pessoas que passaram por cirurgia ou apresentam outro problema de saúde que impede a mastigação, são preparadas refeições pastosas.


Mesa Solidária

O presidente da FAS, Fabiano Vilaruel, destaca que além das refeições servidas nas unidades de acolhimento coordenadas pela FAS, a Prefeitura de Curitiba tem ainda o Programa Mesa Solidária, que garante dignidade à mesa para pessoas que vivem em situação de rua, desempregados e idosos em vulnerabilidade social.


“No Mesa Solidária, todos podem se alimentar em lugares limpos e confortáveis e não mais nas calçadas sob o frio e a chuva”, diz Vilaruel.


O Mesa Solidária é realizado no Restaurante Popular da Matriz, na Praça Rui Barbosa (Centro); no Restaurante Popular do Capanema (Jardim Botânico); no Centro POP Plínio Tourinho (Rebouças); e no Mesa Solidária Luz dos Pinhais, próximo à Praça Tiradentes, atrás da Catedral (Centro).


Desde que foi lançado, em dezembro de 2019, o programa já garantiu 424 mil refeições gratuitas para a população em risco social.


O Mesa Solidária é uma ação conjunta de órgãos da Prefeitura - como Secretaria Municipal de Segurança Alimentar e Nutricional (SMSAN), Fundação de Ação Social (FAS) e Secretaria Municipal de Defesa Social e Trânsito, que cedem espaços e apoio logístico – com 54 entidades parceiras, entre instituições religiosas, organizações não-governamentais (ONGs) e movimentos de apoio às pessoas em situação de rua, que adquirem, preparam e servem os alimentos.


Fonte: Prefeitura de Curitiba

https://www.curitiba.pr.gov.br/noticias/pessoas-em-situacao-de-rua-recebem-marmitas-com-740-gramas-de-alimentos/60035

0 visualização0 comentário