• Deputado Galo

Rede de proteção social de Curitiba garante alimentação para quem mais precisa


Dona Maria Madalena dos reis é uma das beneficiadas pelo auxílio alimentar compramdo no Armazém da família no CIC. Curitiba, 11/09/2021. Foto: Levy Ferreira/SMCS

A catadora de recicláveis Maria Madalena dos Reis, 50 anos, vive e cuida sozinha dos netos Emylly Maria, 7 anos, e Daniel Arthur, 3 anos, em uma casa simples na Rua Aldo Laval, na CIC. Em meio a tantas dificuldades, agravadas por não estar trabalhando devido a problemas de saúde, ela não perde o otimismo e agradece muito à rede de proteção social do município que vêm garantindo alimentação para a família durante a pandemia.


Com os netos matriculados na rede municipal de ensino, que dá o direito a kits de alimentos mensais para cada um deles, Maria Madalena ainda recebe o Auxílio Alimentar de Curitiba. “Se não fosse a Prefeitura eu não teria como por comida lá em casa”, garante ela, que hoje vive apenas com R$ 190 do Bolsa Família.

Lançado em abril de 2021, o Auxílio Alimentar de Curitiba é um voucher de R$ 70 mensais para que famílias em extrema pobreza possam fazer compras nos 34 Armazéns da Família. Atualmente, 32,7 mil famílias estão cadastradas no programa emergencial que está na quarta de um total de seis parcelas mensais até o fim de outubro.

Anjos da guarda

Maria Madalena vê as diferentes equipes da Prefeitura, que integram a rede de proteção de Curitiba, como verdadeiros “anjos da guarda”. A começar pelos servidores do Centro de Referência da Assistência Social (Cras) Barigui, que a acompanham periodicamente. “Eles vêm me visitar e saber como eu estou. Quando começou o Auxílio Alimentar, me procuraram para contar que tenho direito”, salienta a catadora.


Desde o lançamento do Auxílio Alimentar as equipes dos Cras da Prefeitura estão mobilizadas para informar às famílias beneficiadas que podem fazer compras nos Armazéns da Família (confira os endereços). O comunicado é feito por ligações telefônicas, visitas dos técnicos e até disparos de mensagem de texto para os números indicados pelos beneficiados.


“Identificamos e validamos as famílias elegíveis que constam nas listagens da base do CadÚnico (Cadastro Único) e, a partir disto, iniciamos o trabalho de comunicá-las sobre o direito ao benefício”, explica Fabiano Vilaruel, presidente da Fundação de Ação Social (FAS), órgão municipal responsável pelos Cras (confira os endereços).


Armazéns da Família

O atendimento nos Armazéns da Família também é muito elogiado por Maria Madalena, que na semana passada fez compras com a quarta parcela do Auxílio Alimentar.


“As funcionárias têm paciência. As vezes eu não consigo fechar a compra no valor todo e elas pedem para eu ir escolhendo sem pressa”, conta a catadora de recicláveis, que normalmente compra iogurte, bolachas, leite, macarrão e margarina.


Luiz Gusi, secretário municipal de segurança alimentar e nutricional, explica que as famílias beneficiadas pelo Auxílio Alimentar podem adquirir nos Armazéns de Família gêneros alimentícios e itens de higiene e limpeza. “São mais de 350 itens com preços, em média, 30% mais baratos que nos supermercados”, ressalta.


Famílias que ainda não fazem parte do CadÚnico, mas precisam do Auxilio Alimentar de Curitiba, devem procurar o Cras da sua região para se inscrever. O município reservou recursos suficientes para liberar o Auxílio Alimentar para um total de 35 mil famílias carentes da capital.


Kits de alimentação

Os kits de alimentação da Secretaria Municipal da Educação destinados aos netos também são muito importantes para Maria Madalena garantir refeições para ela, Emylly Maria e Daniel Arthur. “Tem arroz, feijão, sal, óleo, farinha de trigo, fubá e até frutas e verduras, como cenoura, abobrinha, maçã, laranja e banana. É muito bom”, afirma a catadora.


A Prefeitura já distribuiu, desde abril de 2020, mais de 1,5 milhão de kits de alimentação às famílias das crianças e estudantes da rede municipal de ensino.


“Organizamos as entregas de maneira a evitar aglomerações e seguimos garantindo a segurança alimentar de todos, independente do formato de ensino escolhido”, esclarece a secretária municipal da Educação, Maria Sílvia Bacila.


Fonte: Prefeitura de Curitiba

https://www.curitiba.pr.gov.br/noticias/rede-de-protecao-social-de-curitiba-garante-alimentacao-para-quem-mais-precisa/60297

0 visualização0 comentário